Notícias

Bitcoin quebra novo recorde e já vale mais de US$ 10 mil

Parece difícil de imaginar que o Bitcoin conseguiria um feito tão grande em menos de um ano: ter uma valorização de quase 1000% e romper a marca dos US$ 10 mil, feito alcançado nessa terça-feira (28/11/2017), no CoinMarketCap. No Brasil, a criptomoeda é vendida a R$ 35.000 no Mercado Bitcoin.
Excelentes notícias ao longo dos últimos meses impulsionaram a alta como: o anúncio da Chicago Mercantile Exchange (CME) de que irá lançar contratos futuros de Bitcoin em meados de dezembro, a regulação do Japão pró-inovação, a maior adoção nos quatro cantos do mundo e o aumento da confiança na tecnologia blockchain.
E nem mesmo os hard forks que geraram o Bitcoin Cash e o Bitcoin Gold e as restrições no mercado chinês foram capazes de abalar a confiança na moeda original. Pelo contrário, mesmo com os baques, ela se fortaleceu e mostrou um crescimento sólido tanto que seu valor de mercado chega próximo dos US$ 160 bilhões sendo superior a grandes marcas como McDonald’s, PayPal e IBM.
Embora alguns especialistas do mercado financeiro apostem que o ativo digital é uma bolha, os entusiastas afirmam que o valor atual pode estar até 80% abaixo de onde pode chegar nos próximos cinco anos.
Ao infinito e além
O anúncio da CME é considerada uma espécie de selo que valida o Bitcoin e nos deixa mais próximos de ver um ETF (Exchange Traded Funds), ou seja, fundos de índices comercializados como ações em Wall Street.
Se isso realmente vir a acontecer, presenciaremos uma verdadeira inundação de dinheiro proveniente de investidores institucionais no mercado, o que pode ser importante para alavancar ainda mais a cotação da moeda.
Alguns especialistas apontam que o Bitcoin deve ultrapassar a marca de US$ 15 mil nos primeiros meses de 2018 e atingir US$ 100 mil em cinco anos mesmo com o aumento no número de criptomoedas disponíveis.
Pelo visto, não dá mais para ignorá-lo. Avante, Bitcoin!
O post Bitcoin quebra novo recorde e já vale mais de US$ 10 mil apareceu primeiro em Bitcoin Brasil.

Fonte: Bitcoin Brasil

Deixe sua opinião