Matt Liston, ex-CEO da Augur e autodeclarado ateu, encontrou sua religião, ou talvez, mais precisamente, ele criou uma, a ‘0xΩ’ (Zero x Ômega), inspirada pela maneira como o blockchain ajuda grupos a chegarem num consenso.

De acordo com a Forbes, a ‘0xΩ’ é parte de um esforço ainda maior que Liston concebeu para mudar a forma de como as religiões tradicionais recebem e gastam as doações. E esses donativos via blockchain aponta um caminho que pode acabar com essa indústria bilionária.

“A ‘Zero x Ômega’ é um mecanismo de adoração, um quadro religioso que pode permitir que as crenças se atualizem muito mais rapidamente, democratizando a relação entre os membros e também a convergência sobre o que todos acreditam nesta religião”, descreveu Liston.

Liston não gostou de ser chamado de Cripto-Profeta ou Cripto-Cristo e refutou logo essa ideia:

“Isso me incomoda. É inadequado. Eu não disse que estava criando uma religião. Isso soa muito ruim. Eu cresci judeu”, aponta.

Ele afirma isso porque na sua ‘cripto-religião’, baseada no consenso coletivo via blockchain, não vai haver um líder, um ‘Papa’, por exemplo, e é uma ideia que o indivíduo pode ter uma religião existente, digamos, judaísmo, e você pode colocar a escritura em uma blockchain.

O Livro do Blockchain

Em termos simples, o blockchain fornecerá um livro digital de regras e crenças da religião que todos os membros podem ver e votar antes de se tornarem lei canônica. Os seguidores receberão um um símbolo que possibilita sua participação na fé, o “Ômega”, simplificando, uma bíblia.

Liston acha que todas as religiões poderiam se beneficiar do uso do blockchain como um mecanismo de feedback ou como uma maneira de gerenciar doações e gastos. Isso tornaria tudo totalmente transparente para o seguidor e assim eles não se sentiriam como se estivessem sendo roubados.

Ele também explica que o valor de armazenamento das criptomoedas depende apenas do quanto as outras pessoas acreditam que devem ter valor: “É neste ciclo de feedback de crença que funciona como um sistema religioso”.

O primeiro passo do modelo de governança da ‘nova religião’ é um memorando de como os acionistas podem atualizar os estatutos por meio de votação.

Desta forma, os próprios textos sagrados serão identificados, aprovados e devolvidos por meio de um contrato inteligente, garantindo que eles vêem os mesmos dados sem intermediários.

“Fazer isso com a religião é a crítica final das instituições existentes e um experimento para provocar o pensamento em torno de coisas realmente interessantes que podemos fazer com blockchain”, disse Liston.

Liston está construindo a plataforma usando um recurso blockchain cada vez mais popular, chamado TCRs (token-curated registries).

Este recurso permite que os grupos concordem com o que consideram ser coleções úteis de informações, mas que não exigem a aprovação ou supervisão de quaisquer informações centralizadas.

No caso de ‘’0xΩ’, os textos provavelmente serão compostos em grande parte pelo próprio ‘Flame Paper’ (que se refere a chama, fogo, ou flamejante, uma alusão ao tradicional ‘White Paper’, documento com todo o projeto de uma startup no que se refere à Oferta Inicial de Moeda ‘ICO’).

Apesar de ser o pioneiro que pode ser a primeira religião baseada em blockchain, Liston é apenas um desenvolvedor humilde, e não sugere possuir conhecimento divino, opinou a Business Insider.

 


Ganhe alto com a Binance

A maior e mais confiável das exchange está aceitando novos cadastros por tempo limitado, aproveite e obtenha grandes lucros no mercado de criptomoedas com essa incrível plataforma de trading.

Acesse já: https://www.binance.com