De acordo com um artigo publicado pela Coindesk, agência de notícias especializada no universo cripto, um grupo de pesquisa ligado ao Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação (MIIT) da China divulgou sua mais recente avaliação de redes blockchain – com resultados talvez surpreendentes.

O Blockchain Research Institute (CCID) – que visa fornecer um sistema de classificação independente para o ecossistema blockchain – colocou a criptomoeda EOS recém-lançada em primeiro lugar, com Ethereum e NEO chegando em segundo e terceiro lugar, respectivamente. Esta é a segunda avaliação do índice desde que foi lançado em maio.

Notavelmente, o Bitcoin, a maior criptomoeda em valor de mercado, foi classificado fora do top 10 em 17º lugar – uma queda em relação ao 13º lugar da última lista divulgada, após uma mudança nos métodos de classificação.

No entanto, o projeto se propõe a medir 30 blockchains principais com base em suas capacidades tecnológicas e casos de uso, não em aspectos relacionados à sua avaliação financeira. De acordo com o site do índice, o objetivo da lista é “avaliar o nível de desenvolvimento da tecnologia global da cadeia pública, entender com precisão a tendência da blockchain”.

A colocação da EOS em primeiro lugar pode ser visto como algo controverso, uma vez que desde que o projeto entrou em operação recentemente, em 14 de junho, quase imediatamente encontrou problemas com transações que forçaram os desenvolvedores a fazer uma correção rápida.

Apenas alguns dias antes do lançamento, a EOS também viu sérios bugs levantados por uma empresa chinesa de segurança na Internet que exigia a emissão de patches urgentes. O relatório disse que as brechas no código da EOS podem expor os nós aos invasores, dando-lhes a capacidade de possivelmente assumir o “controle total” das transações.

Na sua avaliação, a equipe de pesquisa de blockchain do CCID deu à EOS 102 pontos por tecnologia fundamental, 15,4 por aplicabilidade e 44,1 por inovação. Enquanto isso, o Ethereum – uma plataforma conhecida por sua funcionalidade de contrato inteligente – teve uma pontuação menor em tecnologia fundamental (85,2), mas maior em aplicabilidade (24,9).

A equipe escreveu sobre a blockchain colocada número um da lista:

“Devido ao seu potencial para suportar aplicações distribuídas comerciais, [EOS] é considerado pela indústria como um representante típico da Blockchain 3.0.”

O Bitcoin foi avaliado como baixo de 41,6 na escala de tecnologia fundamental, mas, notavelmente, pontuou relativamente bem em inovação (35).

Fundado em 1995, o CCID é o instituto de pesquisa científica do MIIT, responsável por pesquisa e desenvolvimento de tecnologia, formulação de políticas e testes de software para uma variedade de setores.